Fechar
Socilitações

POLÍTICA DE PRIVACIDADE

Nós do Escritório Contábil Garcia, pessoa jurídica de direito privado inscrita no CNPJ sob o nº 26.842.740/0001-69, com sede em Três Lagoas/MS, encaramos privacidade e segurança como nossas prioridades e nos comprometemos com a transparência do tratamento de dados pessoais de nossos clientes. Por essa razão, a presente Política de Privacidade estabelece como é feita a coleta, uso e transferência de informações.

Portanto, ao contratar nossos serviços, você entenderá a forma pela qual coletaremos e usaremos suas informações pessoais nas formas descritas nesta Política, sob as normas de Proteção de Dados (LGPD, Lei Federal 13.709/2018), das disposições consumeristas da Lei Federal 8078/1990 e as demais normas do ordenamento jurídico brasileiro aplicáveis.

I – QUAIS DADOS UTILIZAMOS

Os dados coletados e utilizados destinam-se tão somente à finalidade pela qual o serviço será prestado. Neste sentido, o Escritório Contábil Garcia poderá coletar tanto as informações fornecidas diretamente pelo cliente ou, também, a partir da coleta por órgãos governamentais, além daqueles coletados automaticamente, como, por exemplo, quando da utilização das páginas e da rede.

Dados pessoais fornecidos pelo titular

Dados pessoais coletados automaticamente

Obs: Caso entender necessário e conveniente, poderá o usuário desabilitar a coleta automática de informações por meio de algumas tecnológicas, como Cookie e caches, pelo próprio navegador.

II – COMO É FEITA A COLETAo

A coleta ocorre, inicialmente, a partir do fornecimento dos dados necessários para o preenchimento do contrato de prestação de serviços. Além disso, outros meios podem ser utilizados, como o website, mídias sociais (por meio da interação) e dados de contato (solicitação de informações).

Consentimento
Entretanto, para que possamos tratar os dados pessoais, é necessário o consentimento do usuário, conforme determina o art. 7º, I, da da Lei nº 13.709/2018 (Lei Geral de Proteção de Dados).

De acordo com o art. 5º, XII, do mesmo diploma anterior, consentimento é a manifestação livre, informada e inequívoca pela qual o titular concorda com o tratamento de seus dados para uma finalidade determinada. Desta forma, não havendo o consentimento livre e inequívoco, não poderá ocorrer o tratamento

Ressalta-se, todavia, que o consentimento poderá ser revogado a qualquer tempo.

Portanto, ao utilizar os serviços do Escritório Contábil Garcia, com o consequente fornecimento dos dados que se fizerem necessários, você está ciente e consentindo com o inteiro disposto nesta Política de Privacidade.

III – DIREITOS DO USUÁRIO

O Escritório Contábil Garcia assegura ao usuário/cliente todos os seus direitos previstos no art. 18 da Lei Geral de Proteção de Dados, quais sejam:

IV – POR QUANTO TEMPO OS DADOS SÃO ARMAZENADOS

Os dados coletados para tratamento serão armazenados em nossos arquivos pelo período em que se mantiver a relação contratual da prestação de serviço. No presente caso, nosso contrato possui um prazo determinado de 4 (quatro) anos, em conformidade com o Código Civil, podendo ser renovado mediante solicitação.

Após a extinção da prestação de serviço, todos os dados serão excluídos, com exceção do disposto no art. 16 da Lei Geral de Proteção de Dados:

Melhor dizendo, as hipóteses acima dizem respeito a algumas informações pessoais que sejam imprescindíveis para o cumprimento de determinações legais, judiciais e administrativas e/ou para o exercício do direito de defesa em processos judiciais e administrativos serão mantidas, e, assim, portanto, não poderão ser excluídas.

V – QUAIS AS MEDIDAS PARA MANTER A SEGURANÇA DOS DADOS

A segurança com os dados armazenados é um dos pilares do nosso compromisso com o usuário/cliente. Utilizamos maneiras físicas e digitais a fim de proteger nossos armazenamentos, minimizando ao máximo a ocorrência de vazamento de dados ou quaisquer outras violações.

Entre as medidas, podemos elencar:

Todavia, importante ressaltar que embora nos esforcemos para evitar qualquer tipo de fraude, estabelecendo todas as medidas necessárias para a preservação da segurança dos dados armazenados sob nossa responsabilidade, há ocasiões em que os riscos se tornam inevitáveis, especialmente quando tratamos de um ambiente virtual. Nessas situações, o Escritório Contábil Garcia não se responsabilizará por consequência decorrentes da negligência, imprudência ou imperícia dos usuários; ações maliciosas de terceiros; e inveracidade de informações inseridas pelos usuários.

VI – COMPARTILHAMENTO DE DADOS

Em um contexto geral, o Escritório Contábil Garcia assegura que todos os dados pessoais não serão divulgados a terceiros não autorizados, a vista de preservar a privacidade.

A exceção existe quando para o cumprimento da prestação de serviços for necessário o compartilhamento com pessoas autorizadas, tais como fornecedores de produtos e serviços, afiliadas, escritório parceiros e autoridades públicas e/ou governamentais.

Ademais, em hipóteses de determinação ou ordem judicial também haverá o compartilhamento.

VII – COOKIES OU DADOS DE NAVEGAÇÃO

Cookies são entendidos como arquivos enviados de forma automática de uma determinada plataforma para o seu computador, armazenando-se neste.

O Escritório Contábil Garcia utiliza dos Cookies com o fim de aprimorar a experiência do uso de nosso Website.

Utilizamos em nossa plataforma os seguintes tipos de Cookies:

Ressalta-se, todavia, que é possível a desativação (bloqueio) dos Cookies a qualquer momento, bastando fazê-lo diretamente nas configurações de seu navegador.

VIII – RESPONSABILIDADE

A Lei Geral de Proteção de Dados elenca o controlador ou o operador dos dados pessoais como responsáveis pela ocorrência de dano patrimonial, moral, individua ou coletivo, ficando obrigado a repará-lo.

Nesta linha, o Escritório Contábil Garcia se compromete a zelar por todo o disposto nesta Política de Privacidade, atentando-se, primordialmente, ao aprimoramento técnico e pela segurança de nossos usuários/clientes, além de seguir à risca todas as recomendações da Lei Geral de Proteção de Dados e da Autoridade Nacional de Proteção de Dados.

IV – COMO ENTRAR EM CONTATO CONOSCO

Você pode entrar em contato com o Escritório Contábil Garcia pelos seguintes meios:

Os canais de atendimento acima poderão ser utilizados tanto no caso de restar quaisquer dúvidas a respeito da presente política de privacidade quanto para apresentação de reclamações e melhorias, além do protesto em caso de eventual violação à Lei Geral de Proteção de Dados.

X – LEGISLAÇÃO

A presente Política de Privacidade será regida, interpretada e executada em harmonia com as Leis da República Federativa do Brasil, especialmente a Lei nº 13.709/2018 (Lei Geral de Proteção de Dados), independentemente das Leis de outros estados ou Países, sendo competente o foro de domicilio do Usuário para dirimir qualquer dúvida.

WESLLEY BARBOZA DE FREITAS - Encarregado // Atualizado em 25 de agosto de 2021.

DINHEIRO - Selic: Goldman Sachs considera improváveis cortes na taxa antes de julho de 2023

Compartilhar

Publicado em 04 de julho de 2022

O Goldman Sachs divulgou relatório nesta quinta (30) com previsões sobre a trajetória da taxa Selic. No último dia 15, o Copom (Conselho de Política Monetária), do Banco Central (BC), decidiu elevar a taxa básica de juros da economia de 12,75% para 13,25% ao ano e sinalizou com um aumento de 0,5 ponto percentual na próxima reunião, em agosto. E o que virá depois? É o que o banco americano explica em sua avaliação, levando em conta, claro, projeções da inflação e o cenário macroeconômico. O banco considera remota a possibilidade de o BC reduzir a Selic antes do 2º semestre de 2023.

No dia 21, a ata do Copom informou que poderão ser feitos ajustes nos passos futuros para “assegurar a convergência da inflação às metas, a depender da evolução do balanço de riscos, da atividade econômica e das projeções e expectativas de inflação para o horizonte relevante de política monetária.” No relatório de ontem o Goldman Sachs foi mais preciso: acredita que o Copom deve seguir a trajetória de alta da Selic. Os analistas do banco consideram improváveis cortes na taxa até pelo menos julho de 2023 com o cenário macroeconômico deteriorado, que inclui inflação global e alta doméstica de preços sem dar trégua.

O Goldman Sachs comenta no relatório que o Copom deve seguir com as altas na Selic: “No geral, é improvável que os cortes nas taxas se concretizem muito antes do segundo semestre de 2023, e provavelmente apenas moderadamente.”

A previsão é de que a reunião do Copom de agosto eleve a taxa Selic em 0,5 ponto percentual, chegando a 13,75%, como já acenou o BC. O estudo do GS se baseia nas incertezas do cenário macroeconômico e dos riscos e apertos ficais do país.

O relatório também traz a possibilidade de o ciclo de altas se alongar, uma vez que as previsões de inflação para 2023 e 2024 devem avançar. As chances de a alta dos preços ultrapassar a meta do BC em 2023 são de 29% e de 10% em 2024.

Selic, inflação e o impacto da redução dos impostos

Após o anúncio da redução dos impostos (Pis/Cofins federal e ICMS estadual) nos combustíveis, energia elétrica e telecomunicações, o Goldman reduziu a projeção do IPCA de 2022 de 9,1% para 7,5%.

Apesar de diminuir a previsão deste ano, as medidas têm impacto direto nas contas fiscais de 2023 – e é por isso que o Goldman aumentou a previsão da inflação para o ano seguinte, de 5,0%, na última avaliação do banco, para 5,4%.

De acordo com o Copom, as medidas fiscais implicam “uma redução considerável da inflação no ano corrente, mas um aumento de menor magnitude da inflação no horizonte relevante para a política monetária”.

O Copom afirma que as taxas de crescimento no Brasil estão acima das expectativas. O mercado de trabalho tem dado indícios de recuperação, com dados positivos de novos empregos e diminuição da taxa de desempregados. Mas o cenário no geral ainda é incerto e volátil e exige que os riscos sejam avaliados com cautela.

 

O quadro no mundo se deteriorou ainda mais, marcado por revisões em baixa das perspectivas de crescimento global em um ambiente de pressões inflacionárias fortes e persistentes.

O barril de petróleo, por exemplo, segue em alta e a expectativa é de se manter acima dos US$ 100, encerrando este ano em US$ 110 o barril – com aumento previsto para o começo de 2023 em 2%.

Se esse cenário se estabelecer, a inflação global atinge um pico de 12% no segundo trimestre de 2022 e encerraria o ano em 8,8%. Para o fim de 2023 a expectativa é de 4% e 2,7% para o mesmo período de 2024. A crise global ainda atinge os preços da commodities, que podem aumentar à medida que a moeda local perde valor. Outro ponto a ser levado em consideração pelo Copom é uma possível desaceleração da atividade econômica, maior do que a esperada. O que, segundo o Goldman Sachs, fará com que a autoridade monetária não tenha outra alternativa a não ser continuar com a Selic sem cortes — isso até, pelo menos, o início do segundo semestre de 2023.

Fonte: Administradores

Voltar a listagem de notícias